Topo do Governo de Pernambuco
Link para Barra do Governo do Estado de Pernambuco PortalPE - pgina histria de Pernambuco PortalPE - pgina Perfil do Gorvenador PortalPE - pgina Secretarias do Estado PortalPE - pgina Programas do Governo PortalPE - pgina ltimasNotcias PortalPE - pgina Servios Online PortalPE - pgina Rdio SEI

Not�cias

Not�cias

Publicado em 15/09/2011 | Categoria: Informe/Agenda
Voltar

Transposio fortalece as polticas hdricas da Unio e dos estados"

 

O Diretor-Presidente da Apac, Marcelo Asfora, participou na manhã desta quarta-feira (14/09) da mesa de abertura da 12th IWA International Specilized Conference on Watershed and River Basin Management, que acontece no Golden Tulip Recife Palace Hotel, em Boa Viagem. Em uma breve apresentação sobre o projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional, Marcelo Asfora destacou as lições aprendidas nos últimos dez anos, durante o processo de discussão do projeto com a sociedade.

“O governo decidiu e precisou negociar com a sociedade o projeto, fazendo-o circular e criando oportunidade de discutir não somente questões de acesso à água, mas, também, temas ambientais. Esse processo foi muito rico e contribuiu para fortalecer as políticas estaduais”, afirmou. Marcelo Asfora lembrou que o empoderamento da sociedade é um dos paradigmas da Política Nacional de Recursos Hídricos (PNRH), que criou instâncias colegiadas e transferiu parte das decisões para a sociedade.

“Logo após a criação da PNRH, veio o projeto da transposição do São Francisco, que colocou à prova a nova legislação. Assim que o projeto passou a constar na pauta do Governo, a sociedade recorreu aos marcos legais, uma vez que a obra precisa estar nos planos de gestão das bacias”, disse. Segundo ele, quando comparado a outros projetos de transposição, o projeto de integração da Bacia do São Francisco é mais justo com as partes envolvidas e mais correto ambientalmente.

Marcelo Asfora abordou a questão do abastecimento para lembrar que a região do Agreste de Pernambuco possui semelhanças climáticas com o Sertão, porém não dispõe de um grande manancial que possa suprir suas demandas. Esse aspecto explica o fato de o projeto de transposição do São Francisco prever, no seu Eixo Leste, a destinação de 70% das águas para uso urbano, enquanto que o Eixo Norte destinará 70% das águas para o agronegócio. Asfora encerrou sua intervenção apontando os desafios que se apresentam no presente, em particular a gestão da operação do sistema, que terá uma extensão de mais de 900 km, e a gestão da água no seu destino.