Topo do Governo de Pernambuco
Link para Barra do Governo do Estado de Pernambuco PortalPE - pgina histria de Pernambuco PortalPE - pgina Perfil do Gorvenador PortalPE - pgina Secretarias do Estado PortalPE - pgina Programas do Governo PortalPE - pgina ltimasNotcias PortalPE - pgina Servios Online PortalPE - pgina Rdio SEI

Not�cias

Not�cias

Publicado em 26/03/2014 | Categoria: Mais Notcias
Voltar

ANA lana a Rede Nacional de Monitoramento de Qualidade das guas

Um programa nacional para melhorar o fluxo de informações e monitorar a qualidade das águas superficiais foi lançado em Brasília,na semana passada pela ANA-Agência Nacional de Águas.

O programa,ou RNQA-Rede Nacional de Monitoramento de Qualidade das Águas,tem por objetivo identificar áreas críticas em termos de poluição hídrica,dando apoio as ações de planejamento,outorga,licenciamento e fiscalização das águas superficiais do país,e fez parte das comemorações do DIA MUNDIAL DA ÁGUA,que foi celebrado no último dia 22 de março.

A APAC-Agência Pernambucana de Águas e Clima,se fez presente na cerimônia de lançamento da Rede Nacional,representada pelo seu diretor presidente,Marcelo Asfora,que aderiu oficialmente ao programa da Rede,formalizando a participação da APAC e do Estado de Pernambuco.

Aqui no Estado, o monitoramento de qualidade de água já  vem sendo operado pela APAC e CPRH,passando a partir de agora a fazer parte da Rede Nacional de Monitoramento de Qualidade das Águas, como definido pela ANA.

Para o presidente da Apac,o convênio com a Rede,"se reveste de grande importância,não só pelo monitoramento e  um melhor intercâmbio de informações sobre as águas superficiais para o Estado de Pernambuco,como pelo forte suporte de penetração das redes já existentes, e com a ampliação desses novos" pontos de observações" previstos na proposta estratégica da Rede Nacional",concluiu Marcelo Asfora.

A ANA ,segundo o seu diretor presidente Vicente Andreu Guillo, investiu mais de R$9,5 milhões nos equipamentos para monitoramento de qualidade das águas em 15 estados ,(incluindo Pernambuco) como também no Distrito Federal,que já operam o sistema,e os outros que serão contemplados nas próximas etapas  de implantação da RNQA,afirmou Andreu Guillo.

A ideia do programa é que,além do monitoramento,e padronização,propiciando informações precisas sobre  a qualidade das águas,gere conhecimentos para subsidiar a gestão e uma melhor governança dos recursos hídricos nacional.

A meta da RNQA,agora em processo de implementação,é que até dezembro de 2020,todos os estados e o DF,contem um total de 4.452 pontos de monitoramento.