Topo do Governo de Pernambuco
Link para Barra do Governo do Estado de Pernambuco PortalPE - pgina histria de Pernambuco PortalPE - pgina Perfil do Gorvenador PortalPE - pgina Secretarias do Estado PortalPE - pgina Programas do Governo PortalPE - pgina ltimasNotcias PortalPE - pgina Servios Online PortalPE - pgina Rdio SEI

Not�cias

Not�cias

Publicado em 24/03/2015 | Categoria: APAC em destaque
Voltar

APAC participa do Seminrio Territrio Capibaribe,promovido pelo COBH Capibaribe

Num evento promovido  pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Capibaribe-COBH Capibaribe,em parceria com a APAC-Agência Pernambucana de Àguas e Clima,Prefeitura da Cidade do Recife e Universidade Federal de Pernambuco,buscando a (Re)conexão do rio ao cotidiano das pessoas,foi realizado nesta última serxta 20/03 de 2015, o Seminário Território Capibaribe,debateu o território do Rio,com representantes dos movimentos sociais,gestores e técnicos das prefeituras dos municípios que compõem a Bacia,entendendo como indissociável a relação entre sociedade-natureza.Foi discutido também o enfrentamento dos perigos e como realizar as potencialidades da região de modo integrado e participativo,partindo de alternativas váveis e inovadoras.


A mesa principal do Seminário foi composta pelo Promotor de Meio Ambiente da Capital,. Geraldo Magela,o Professor Roberto Montezuma,representante do Reitor Anísio Brasileiro,da UFPE,o vice-Prefeito Luciano Siqueira,que representou o Prefeito Geraldo Júlio,o diretor-Presidente da APAC,Marcelo Asfora e o presidente do COBH Capibaribe,Paulo André Dias da Silva.
 
Durante o evento,o diretor-presidente da Apac,Marcelo Asfora,destacou a oportunidade do Seminário, e do debate sobre o resgate do Rio e a sua importância como  organismo vivo não só na cultura do Recife, como de tantas outras cidades pernambucanas,que a cada instante  vê se ampliar o desafio de  se neutralizar os efeitos danosos da ação humana,provocados na maior parte das causas, pelos impactos dos desordenados adensamentos da população nas cidades e grandes centros,via de regra,sem redes de esgotos e coletas de lixo,e com uma desmensurada expansão da atividade  econômica sem a implementação de ações de sustentabilidade,com a necessária intensidade de práticas conservacionistas dos ambientes naturais.