• Região Metropolitana 26°C 34°C
  • Mata Norte 24°C 35°C
  • Mata Sul 26°C 33°C
  • Agreste 22°C 35°C
  • Sertão de Pernambuco 21°C 33°C
  • Sertão de São Francisco 24°C 33°C
  • Fernando de Noronha 25°C 30°C

Agência Pernambucana
de águas e clima

Notícias

Apac participa do Encontro de rede internacional reúne pesquisadores na área de Estudos Ambientais

 

Pesquisadores, professores e gestores de universidades do Brasil e de outros países de língua portuguesa participam, ao longo desta semana, do XXIV Encontro da Rede de Estudos Ambientais dos Países de Língua Portuguesa (Realp), realizado de forma híbrida. As atividades presenciais acontecem no Campus Recife da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com transmissão via //www.youtube.com/@doutoradoemdesenvolvimento8960" target="_blank" rel="noopener" style="color: rgb(84, 140, 186); text-decoration: none; box-sizing: inherit; background-color: rgb(255, 255, 255); font-family: "Open Sans", Arial, "Helvetica Neue", Helvetica, sans-serif; font-size: 14px; font-style: normal; font-variant-ligatures: normal; font-variant-caps: normal; font-weight: 400; letter-spacing: normal; orphans: 2; text-align: start; text-indent: 0px; text-transform: none; widows: 2; word-spacing: 0px; -webkit-text-stroke-width: 0px; white-space: normal;">YouTube. A sessão solene de abertura foi realizada, na manhã de terça-feira (26), no auditório do Instituto de Pesquisa em Petróleo e Energia (I-Litpeg) da UFPE. Este ano, o evento comemora os 25 anos de atuação da Realp.

fotrealp28.09.23ppp.JPG

O encontro enfoca o tema central “Ciência e Inovação para a Sustentabilidade”. Entre os objetivos do evento estão promover a aproximação e a troca de conhecimentos entre os pesquisadores da rede e apresentar pesquisas e atividades de caráter científico. “Representa também um momento para a gente refletir, avaliar mais diretamente com debate e também definir ações estratégicas”, explicou a professora Vanice Selva, do Departamento de Ciências Geográficas da UFPE, que representa a UFPE e as demais universidades brasileiras na Realp. Ela também coordena o evento junto com a professora Maria do Carmo Sobral, do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental da UFPE. 

“É fundamental que a academia, junto com a sociedade de maneira geral, tome consciência da importância [do assunto] e formule políticas públicas para responder adequadamente a essa questão”, afirmou o reitor da UFPE, Alfredo Gomes, presente à cerimônia de abertura. Para ele, o evento é também um momento para estreitar laços e formular colaborações entre as universidades participantes da Realp.

A rede congrega 19 instituições. Do Brasil: Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). De Portugal: Universidade Aberta de Portugal (UAB), Universidade dos Açores (UAC), Universidade de Aveiro (UA), Universidade de Évora (UE), Universidade de Lisboa (Ulisboa), Universidade Nova de Lisboa (UNL) e Instituto Politécnico de Tomar (IPT). De Angola: Universidade Agostinho Neto (UAN) e Universidade Mandume Ya Ndemufayo (UMYN). De Cabo Verde: Universidade de Cabo Verde (Uni-CV). De Moçambique: Universidade Eduardo Mondlane (UEM) e Universidade Pedagógica de Maputo (UPM). E do Timor Leste: Universidade Timor Lorosa’e (UNTL).

Segundo o vice-reitor da UFPE, Moacyr Araújo, o evento é importante para “discutir sobre um assunto que é profundamente urgente e pertinente, que são as questões das mudanças do clima e as transformações do planeta e dos seus ecossistemas”. Também ontem (26), ele ministrou a conferência de abertura, intitulada “Desafios da Ciência e Inovação diante das Mudanças Climáticas”. O vice-reitor abordou o mais recente relatório do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas), com informações sobre a situação atual das mudanças climáticas no planeta, e a experiência do Brasil nessa área. Ele destacou, entre outras questões, um avanço recente: “Nós conseguimos reduzir o desmatamento da Amazônia em 48% em oito meses. Isso não é trivial porque é uma ação conjunta de vários ministérios [do Governo Federal].”

A solenidade de abertura do encontro teve mesa composta pelo reitor Alfredo Gomes; pelo vice-reitor Moacyr Araújo; pelas professoras Vanice Selva e Maria do Carmo Sobral; pelo reitor da UEM, Manuel Guilherme Júnior; pelo reitor da UPM, Jorge Ferrão; pela vice-reitora para os Assuntos Acadêmicos da UAN, Fernanda Benedito; pela presidenta da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), Márcia Ângela Aguiar; e por Danilo Nogueira, representando a Secretaria de Meio Ambiente, Sustentabilidade e de Fernando de Noronha (Semas), do Governo de Pernambuco.

O XXIV Encontro da Realp teve início na última segunda-feira (25) e segue até a próxima sexta-feira (29). A programação inclui grupos de trabalho, mesas-redondas, minicurso, palestras e apresentação de artigos científicos sobre diversos eixos temáticos: água, mudanças climáticas, cidades sustentáveis, território e patrimônio cultural, uso e conservação de florestas, zonas costeiras e oceanos, economia circular, capacitação e criação de programas de pós-graduação em rede, entre outros.

A Realp foi criada a partir de um protocolo entre diferentes instituições governamentais e universitárias do Brasil e de Portugal, como resultado da Conferência Mundial das Nações Unidas – Rio92. Tem o objetivo global de promover a cooperação científica na área de meio ambiente, políticas públicas e desenvolvimento sustentável.